O que mais nos agrada nos nossos amigos é a atenção que eles nos dedicam". (
Tristan Bernard )

sexta-feira, 27 de março de 2020

Número de atendimentos de vítimas de acidentes de moto cai 70% no Hospital de Trauma/CG durante quarentena do Covid-19

O número de atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito diminuiu cerca de 70% no Hospital de Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, no Agreste do estado.

A significativa redução se deu exatamente no período de quarentena, instaurada na última semana pelo Ministério da Saúde em parceria com Estados e Municípios de toda a federação. A ação busca conter o avanço do novo coronavírus (COVID-19) no País, e, consequentemente, o contágio de pessoas, principalmente as classificadas como sendo do grupo de risco (idosos, asmáticos, hipertensos, cardiopatas, etc).

Com a medida, comércios em todo o território nacional foram fechados por um período determinado. Campina Grande, por exemplo, fechou todo o seu Centro comercial, mantendo apenas os serviços essenciais como farmácias e supermercados operando em horário normal, com isso, as ruas diminuíram seu movimento e os cidadãos passaram a ficar mais tempo dentro de suas casas. O resultado disso foi perceptível em muitas áreas, entre elas, na área hospitalar.

Segundo dados fornecidos pelo Hospital de Trauma de Campina, que atende pessoas da cidade e região circunvizinhas, apenas no último final de semana houve uma queda considerável de entradas na Unidade Hospitalar em decorrência de acidentes envolvendo veículos.



Segundo informa o diretor técnico do Trauma, doutor Gilney Porto, durante o período de quarentena, os acidentes (principalmente de moto) reduziram cerca de 70%, onde, a grande maioria dos enfermos que deram entrada na ala ortopédica (responsável pela cirurgia de acidentados) são idosos vítimas de acidentes domésticos.

Ainda segundo o diretor, há uma média de cerca de 150 acidentes de moto registrados a cada final de semana no Hospital de Trauma, sendo 80 diariamente. Nos últimos dias, a média caiu para cerca de 5 a 10 pessoas, uma redução assustadora de aproximadamente 80%.

“Desde o início do período de quarentena, até ontem (25/03), nós fizemos 81 cirurgias, o que nos dá uma média de 12 cirurgias/dia. Normalmente nós fazemos uma média de 30 cirurgias/dia”, informou.

Por Pedro Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário